quarta-feira, abril 12, 2006

Do festival até ao CD

Pois é, meu querido Ricardo Moraes... Ficaste em penúltimo lugar ou que é que foi no Festival da Canção, mas já lançaste o CD.
Então e quando é que pagas aqui às meninas que tão gentilmente te acompanharam (e, consequentemente, se humilharam) "por ti"?
Cadê o dinheiro??????
Tenho fome, pá!!!

O Ritmo!

Sentir o Ritmo!
O ritmo constante
O ritmo alegre
O ritmo calmo...
Ouvi-lo...
Pegar nele
E guardá-lo numa caixa.
Na minha caixa.
E recordá-lo
Sempre que quiser.
Pois em mim
Ele nunca se esgotará
Enquanto eu respirar!

Sinto-me...

... como se fosse uma folha em branco. Não que esteja ansiosamente à espera de ser escrita... Apenas sinto que não tenho nada a dizer, como se estivesse vazia... tranquila... intocada na minha alvura, na minha impessoalidade de folha branca de papel. Motivo dos motivos... para Tudo e para Nada.
É assim que me sinto agora. Sem criatividade, sem vontade de criar. Só quero estar assim. Assim mesmo. Branca, sem palavras, sem pretensões mais ou menos falsas. Nenhumas.
É tão boa esta paz, este súbito silêncio que aconteceu (!) no meu coração! Esta súbita sensação que o motor do Tempo não parou, mas que eu desliso flexivelmente nos seus meandros, de olhos fechados, como quem sonha...
E é tão bom este formigueiro que tenho... a dormência do ócio... É tão bom sentir-me, aos poucos, cada vez mais completa...
Será mesmo o Vazio, ou será Luz a transbordar de mim?

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Morto não! Adormecido...

É só para dizer que o Gato Preto tem andado com muito sono ultimamente. Também aumentou de peso. É que isto de um gato ir-se tornando num Sr. Gato tem muito que se lhe diga... São precisas muitas horas de treino de sono intensivo... é também necessário ingerir largas doses de comida, o que ainda faz mais sono...
Mas que gato preguiçoso, afinal! Então e que é feito da crítica mordaz e inteligente à civilização actual? Isso não devia também fazer parte do processo de transformação intelectual de um simples gatinho preto para um Sr. Gato Preto?
Claro que faz! O Sr. Gato Preto tem meditado muito sobre esse assunto, entre muitos outros, durante as longas horas que passa na sua almofada de penas de ganso, produto Gato Preto!
Já agora, aproveito para dizer que as nossas almofadas estão em promoção, são antialérgicas e vêm com um lindo conjunto de fronhas a acompanhar, destacando-se desse conjunto a bela fronha rosa choque com bolas amarelas e desenhos de morangos e, também, a fronha verde-vómito com malmequeres e papoilas (e morangos também! todas elas têm morangos!).
Se ligar agora mesmo, juntamente com os malmequeres e as papoilas (e os morangos), vem também um lindo desenho de cocó de vaca, que condiz às mil maravilhas com o verde-vómito.
Mais um fantástico produto O GATO PRETO!
Bem, mas passemos à frente...

É só pa dizer ao people cá da net que aki o Gato tá numa de curtir a vida, dormir all day long, ir aos morfos e, dp, claro, ir conquistar umas damas, que isso é que tá a dar, dread! Topas?

Vejam se vocês também aproveitam a vida como deve ser, que ela não dura para sempre. Sempre podemos viver com a expectativa que a "outra vida" será melhor mas porque não fazer o nosso pequeno Céu aqui mesmo na Terra?
É o que vos digo, amigos! Desenfiem-se dos vossos computadores, saiam de casa e aproveitem esta maravilhosa Primavera antecipada, tão propícia a tantas coisas boas...
É o que vou fazer! Podem pôr as vossas mãos no fogo por isso! É só livrar-me das provas desta semana e depois vão ver... AH! AH! AH!

Mas agora a sério. O Gato Preto promete que se vai esforçar por tentar redigir qualquer coisa inteligente aqui para o blog... para matar as saudades aos leitores, mas não se compromete a uma regularidade diária... nem pouco mais ou menos!
Pá, um gato também tem vida própria!

Abraço para todos!

segunda-feira, dezembro 26, 2005

Revolta

Queria dar os meus parabéns aos meninos e meninas da Revolta dos Pastéis de Nata pelo fantástico programa de Natal que fizeram. Foi um programa crítico da estupidez humana e da superficialidade das pessoas. Sagaz.
Gostava também de salientar que as palavras de Carlos do Carmo se aproximam muito directamente das minhas convicções. Posso não ser grande apreciadora do Fado, mas, sem dúvida, havia muita sabedoria e muita sensatez naquelas ideias tão simples mas tão verdadeiras.
Carry on...

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Apresso-me...

... a desejar umas Festas Felizes a todos os meus leitores e a todos aqueles a quem ainda não tive oportunidade de agradecer a amabilidade de me desejarem um Bom Natal!

Lamento, contudo, que as pessoas esperem por esta altura do ano para serem mais fraternas... para aqueles que amam e conhecem... Quando as coisas precisam de uma altura fixa para serem lembradas, é porque algo de errado se passa com as pessoas... Mas sempre foi assim, ou não?

Bem, pelo menos, uma vez por ano, somos melhores pessoas... seremos? Porque o Natal não deve ser só quando um homem quiser... o Homem não havia de ter que querer o Natal. Ele devia ser todos os dias...

Mesmo assim, votos de Festas Felizes para todos, pois, se esta é uma altura de alegria e concórdia entre as pessoas, eu não tenho o direito, sequer, de conjeminar pensamentos destes.

Um Natal muito feliz!!!!

domingo, dezembro 11, 2005

Português ao Metro

"O átrio norte desta estação, encerra aos Sábados, Domingos e feriados."

Para já, os pontos cardeais devem ser escritos com letra MAIÚSCULA e, depois, onde é que já se viu separar o sujeito do predicado com uma vírgula??? Se calhar estavam com medo que me faltasse o ar a meio da frase...

Tenham vergonha na cara, meus senhores!
Palhaços!!!

domingo, novembro 13, 2005

E...

... perdoem-me a má qualidade dos posts... mas o negócio está mau.
Acho que me vou juntar ao vendedor de farturas que está em Marte... lolol

Os ETs falam inglês!

Rima e é verdade!
Senão, reparem bem, alguma vez viram algum ET a falar italiano? E português? Nah... português só aquele tipo que abriu uma barraca de farturas em Marte. Sim. Ele está à espera de clientes... ainda...
Imaginar que, no tempo em que os nossos progenitores se deliciavam com os livrinhos da Argonauta e com filmes em que chocolateiras, presas por fios, simulavam naves espaciais no meio do fumo, eles criam que, na idade adulta deles (no presente), íamos ter o Sistema Solar completamente colonizado... deve ser frustrante... a Humanidade é uma vergonha...
E os ETs continuam a falar inglês nos filmes! Mas porquê?

E, já agora, porque é que as explosões espaciais se ouvem? O som não se propaga no vácuo!!! Hello???? Está alguém em casa?

E vai que a minha vida deu uma volta de 360º...

... e, por isso mesmo, continuo a gostar de rapazes! E de chocolate também! E de ver televisão até tarde também! E... e...
Por isso mesmo, este post vai ser dedicado aos docinhos do grande e do pequeno écran!
Achei que devia partilhar isto convosco... MENINAS!!!








Não ponho mais porque parece mal... mas, afinal, quem não tem olhos é que não vê e, afinal, estes nunca passam das duas dimensões... Infelizmente...

As confissões de Schmidt ("About Schmidt")

Ora aqui está um filme que me foi dado a conhecer há pouquíssimo tempo e que eu adorei!
Passando os elogios à fantástica (e, em certos aspectos fantasmagórica) actuação de Jack Nicholson, cuja qualidade é, sem dúvida, indiscutível (quer se goste do estilo ou não), foi um daqueles raros filmes que me fez pensar sobre o significado da vida... o significado da nossa vida e, sobretudo, sobre o legado que pensamos deixar para trás e que, se calhar, não tem importancia nenhuma.
Afinal, quem é que Schmidt conseguiu realmente ajudar, durante todo o período da sua vida? A esposa? A filha, que apenas queria distância dele?
Talvez o pequeno Ndugu... Talvez para ele seja realmente importante que Schmidt exista. Mas, ao que parece, ele é o único.
O regresso a casa de Schmidt ficou marcado pela inevitabilidade trágica do reconhecimento que a vida das pessoas que o rodeavam continuou sem ele. Todos lhe eram estranhos e ele era estranho a todos eles... Curiosamente, a existência de Schmidt viria em benefício, pelo contrário, de alguém que lhe era, realmente, estranho, mas que acabou (não de maneira premeditada, mas porque foi "destacado" pelo próprio Schmidt para cumprir com essa função) por desempenhar o papel de confidente das suas frustrações... Não que a criança a quem se tenha destinado a carta a tenha realmente lido (isso não se chega realmente a saber) e, caso a tenha lido, o mais provável é não ter capacidade para a compreender...
Bem, passemos à frente.
O que achei mais interessante foi a maneira como a personagem foi reduzindo o seu valor, ao longo do filme, para perceber que, nada daquilo que fora toda a sua vida realmente importava, pois, afinal, o que é que importa na vida e na morte que não seja aquilo que somos e aquilo que deixamos nas outras pessoas?
E o que terá deixado Schmidt no mundo?
E o que é que ele importa para os que o rodeiam (e que lhe são mais distantes), e para os que lhe são estranhos?
Porque é a vida de Schmidt tão vazia?

Um filme notável!

Morte aos pombos!!

Morte aos pombos! Criaturas mais imundas e barulhentas... pior! Estúpidas!
Não há criatura mais idiota que um pombo. Completos paspalhos é o que eles são!
Digo isto irada pois, ultimamente, tenho dormido numa mansarda de uma casa antiga, na baixa lisboeta e sei o que passo todas as manhãs, ao ouvir o estapafúrdio "gargarejo" daquelas tristes e cinzentas criaturas, que não me deixa pregar olho, mal o sol ameaça despontar.
E o barulho das patas, sobre as telhas, como se passeassem mesmo por cima da minha cabeça! E, vejamos, não é isso que se passa, realmente? Aquelas estúpidas criaturas, com os radares meio avariados, por causa da vida citadina...
É o animal que mais detesto... Porque, acima de tudo, é estúpido e detesto criaturas estúpidas!
Sim! O que faz um pombo além de sujar monumentos e atrapalhar a marcha de pessoas e viaturas? NADA!
Sim! Porque eles só sabem é atrapalhar. Aliás, eles são atrapalhados por natureza. Só me apetece esmagá-los com os pés quando um me aparece à frente! E a maneira como eles caminham, a fugir de nós? "Será que tenho que levantar vôo? Será? Oooh, não me apetece... Talvez baste uma corridinha! Mas tenho meeeeeeesmo que levantar vôo? Ora bolas! Bem, talvez um pulinho para a frente seja suficiente..."
Porra! Voem!! Para que raio vocês têm asas??? Trapalhões, preguiçosos, mandriões!!!

Get lost!

...

Vão-me perdoar esta ausência, contudo, a partir de agora e cada vez mais, será difícil, para mim, manter o blog actualizado como o fazia antes, por uma data de factores logísticos, completamente alheios a mim...
De facto, constato agora que, daqui a pouco tempo, faria já um mês que este blog não era actualizado! Como o tempo passa! E quão distraída eu estava para não me aperceber disso!
Contudo, com tudo aquilo que se tem passado à minha volta, a minha escrita fica mergulhada na escuridão, meio esquecida... ou, antes, completamente esquecida, pois aquilo que não escrevo no momento, dificilmente escreverei mais tarde...
Bem, certamente me compreenderão. Nem sempre é fácil escrever-se, mesmo quando o tema não tem limites... por vezes falta a inspiração, ou, simplesmente, a vontade... e a vontade pode faltar por um sem-número de razões...

De qualquer forma, com um pé lá e um pé cá, o Gato Preto continua a sua demanda, em cima de telhados de zinco!

domingo, outubro 16, 2005

O site que faltava...

... aos compositores!
Sim, caros amigos da ESML e afins, deixem-se lá de matemáticas e ideias luminosas de escrever coisas que ninguém entende! Deixem-se de utopias que essas peças nunca vão passar na rádio, nunca vão estar no ouvido da pessoa da rua. Esqueçam lá essas cenas da intelectualidade que assim ninguém faz dinheiro!
Visitem o seguinte site e testem as vossas músicas (TONAIS, de preferência... se possível só com I, IV e V graus... senão já destoa). Vejam se, realmente, têm jeito para compor, senão, o melhor é procurarem emprego no KFC ou algo do género, porque o que a malta quer é curtir ao som de uma música fixe!
Não é disso que falámos em Estética, na semana passada? A música como animadora dos espíritos dos desafortunados seres humanos?
Então? De que estão à espera? Dêem às pessoas o que elas querem e conquistem o mundo da maneira subliminar que apenas vocês, caros compositores, são capazes!
Não temam! O mundo da fama e da fortuna pode estar num simples site de internet! Não deixem de visitar!

Infelizmente, este não é um produto "O Gato Preto", mas encarem-no como se fosse. Estes senhores registaram a patente poucos segundos antes de nós... senão, o produto seria nosso, sem dúvida. Mas não estamos aqui para lixar a vida a ninguém. Coitados, estes tipos estão só agora a começar e nós já temos anos e anos de experiência nestas coisas, portanto, damos-lhes um desconto... desta vez... Mas que isto não se repita, hem??

Ah, e agora a sério! Muito obrigada, Ana Coelho, pela sugestão que fizeste no teu blog. Deu azo à minha imaginação! Espero que não te importes que tenha citado aqui o mesmo site que tu, mas, como estou directamente ligada à música, não pude resistir! (E repara como a abordagem é totalmente diferente!)

www.hitsongscience.com

Visitem! Vale a pena o tempo que "perdem"...

Alegoria

Fiquei a pensar na razão pela qual o povo de Deus é referido como "rebanho" e descobri um significado oculto e de grande relvância sociológica: o rebanho segue um pastor, que é ajudado pelos seus agentes caninos, assim como o povo, segundo a Bíblia, deve seguir o seu Criador, auxiliado por toda uma panóplia de agentes controladores, que são, neste caso, os oficiais de Deus... os padres, bispos, etc.
Até aqui nada de novo, suponho mas, repare-se noutro aspecto da questão: o rebanho não tem mente própria (enquanto entidade colectiva) e a mente individual de cada um dos elementos é, de si só, bastante limitada, servindo apenas para sobreviver. Podia-se ter referido uma manada de cavalos... Mas a manada de cavalos é liderada por um cavalo. E quem lidera o rebanho? Uma ovelha??
Ou seja, cada ovelha é responsável pela sua alimentação e descanso e, também, pela sua própria sobrevivência, face ao perigo exterior. Se aparece um lobo, cada ovelha foge pela sua vida, ainda que tenha que pisar uma mais fraca. Mas, 99,9% das vezes, o rebanho é liderado por elementos de espécies diferentes. Ou seja, resumindo, o rebanho é liderado por um ser superior à ovelha (mais inteligente) mas, no caso de se suceder uma situação anormal, as ovelhas dispersam, sem Norte, cada uma correndo por si. É o caos... A rotina é perdida, o rebanho está condenado...
Outro aspecto importante é o da "ovelha tresmalhada". A dita "ovelha tresmalhada" não pode contar com o apoio das restantes, pois estas, apesar de viverem em conjunto, apenas vivem assim "porque sim", não tendo consciência da falta de uma das suas parceiras, pois nem sequer têm uma consciência concreta da sua existência (uma vez que nem num espelho reconheceriam a sua figura, como o faria um macaco ou um golfinho).
Ou seja, a "ovelha tresmalhada" está, efectivamente, só, abandonada pelas restantes. Não terá possibilidade de se reaproximar, estando exposta a uma panóplia de perigos de todo o tipo.
Os agentes de controle, os cães pastores, ajudam a manter o grupo unido, não hesitando em morder a ovelha mais rebelde, por forma a amansá-la.
Ora que estranha analogia à verdade cruel do mundo! Os homens, tal como ovelhas, são impiedosos com os seus semelhantes. São completamente esquecidos deles. Não se entreajudam. Apenas permanecem unidos porque não conhecem outro modo de vida, tal como as ovelhas. São altamente controlados pelas forças da ordem (que apenas mudam o seu aspecto exterior, mas que continuam com os mesmos interesses...).
Resta saber se há um pastor que nos guie ou se o rebanho está apenas a ser controlado pelos cães. Cada qual, segundo a sua crença, imagine o que quiser. Na minha imagem, o pastor adormeceu e ressona, enquanto cães e lobos se banqueteiam com as vidas das ignóbeis criaturas que somos nós.
Sim, esta imagem do rebanho serve para muita coisas mas, sobretudo, a meu ver, para retratar uma das maiores verdades do mundo: a raça humana é estúpida e cruel para consigo própria, tal como um rebanho, que se maneja como se quer, para onde se quer. E nós seguimos, apenas "porque sim"... Ou porque cremos que algo nos leva na direcção certa, assim como a corrente de um rio leva ao mar... porque não há outro caminho.
Mas... e se houver? Para onde nos estão a levar, então? Qual é o destino final de cada elemento do rebanho...? Não é o prato?...
E quem é que quer ser comido? Aposto que, se as ovelhas soubessem (se elas tivessem capacidade para compreender) não gostariam nada que isso lhes acontecesse.
Não se passará o mesmo connosco? Até que ponto somos de vistas curtas? Até que ponto podemos dizer que conhecemos com majestade a realidade das coisas?

Fica o repto...

Já agora...

... alguém sabe como é que raio se acaba com a publicidade nos comentários! Isto está a dar comigo em doida!!!!

Em fase de reflexão... metafísica? ;)

Daniel Craig, o novo James Bond.
Ainda é cedo para me pronunciar sobre este assunto, mas fica a imagem para aqueles que o desconhecem por completo (tal como eu, há uns minutos atrás...).